sábado, 30 de dezembro de 2006

"Nada de novo sobre a terra"

Comentários ao artigo de Pacheco Pereira:
"Nada de novo sobre a terra", in Publico 14/Dez./06

Gosto muito de ler Pacheco Pereira. Ele é simples, inteligente, culto, sem retórica, pragmático. Gostava de ser assim, talvez um dia… :-)

Esta transferência, este deja vu, das revoluções de bairro, do passa-palavra com panfletos caseiros, para as revoluções via Internet em que o panfleto é agora um PDF, ou mesmo um flash animado, têm realmente contornos de decalque por demais evidentes.

Na realidade, e não querendo simplificar demasiado, diria que a Internet não é mais do que um poderoso meio de distribuição de informação, logo ideal para campanhas revolucionarias ou não, verdadeiras ou não, engraçadas ou não.

Depois de ler o artigo, retive as seguintes ideias, que podem (ou não) ser chave. Aqui vão:

O (potencial) poder que cada cidadão passou a ter – Power to the people ou o empowerment são as palavras da moda. Veja-se por exemplo a capa da revista TIME deste ano onde a personagem do ano, é YOU, ou seja todos NÓS! (edição de December 25, 2006 Vol. 168 No. 26)

O fascínio do que é “livre”, a começar pelo software livre, que apesar de o ser não tem tido a aceitação esperada ou desejada, aqui em Portugal, onde a Microsoft é senhora e dona da maioria dos nossos computadorzinhos. Podíamos aprender com os Espanhóis da Estremadura que fizeram leis especificas para introduzir o Linux na função publica, nas Escolas, nos Tribunais, ou seja em tudo o que seja organismo estatal. Chamaram-lhe LINEX e já foram premiados pela comissão Europeia pela mão do nosso António Guterres.

A criação de equívocos de solidariedade virtual (a ajuda solidária com um simples clique!). Graças a este empowerment, julgamos nós, que ao reenviarmos um e-mail do tipo chain-letter estamos a ser mais solidários, estamos a “ajudar”. Ao assinarmos listas anónimas que andam por ai, julgamos nós que estamos a ajudar! Não. Pois claro que não.

O uso de Wikis, poderosa ferramenta social, onde a Wikipedia encabeça a mais mediática enciclopédia colectiva feita por homens comuns como tu e eu, em que mais importante do que o rigor dos artigos é o facto de serem feitos por todos.

A minha opinião?

Pois aqui vai: Esta história da web 1 e da revolução da web 2, hum... acho estamos nos primórdios dos inícios desta revolução, desta vaga, desta mudança de paradigma.

Estas ferramentas toscas que usamos hoje, este blog, os LMS e o CMS (como o moodle, a bB, o Joomla) todos estes agregadores de informação serão ferramentas completamente obsoletas daqui a uma meia dúzia de anos. As novas plataformas vão ser muito, mas muito mais intuitivas, muito, mas muito mais sociais, muito, mas muito mais interligadas a outras fontes dinâmicas de informação...

LP

Sem comentários:

Enviar um comentário